Feevale investe em centro tecnológico da saúde em Campo Bom e do agro em Esteio

Feevale investe em centro tecnológico da saúde em Campo Bom e do agro em Esteio

Maquete eletrônica mostra como ficará o complexo Hub Onehealth da Feevale em Campo Bom

FEEVALE/DIVULGAÇÃO/JC
Eduardo Torres

Tem previsão para iniciar as obras em 2024 a primeira incubadora tecnológica com ênfase na biotecnologia e saúde no Rio Grande do Sul. O chamado Hub Onehealth, com financiamento aprovado pela Finep (Financiadora de Estudos e Projetos), tomará forma em até quatro anos, como antecipou a coluna Mercado Digital, no campus do Feevale Techpark, em Campo Bom, com investimento total de R$ 14,5 milhões.

É o principal aporte anunciado pela universidade em 2023, que ainda incluirá ainda outros R$ 2,2 milhões em áreas como o desenvolvimento de tecnologias para o agro, pesquisas em saúde, inclusão e desenvolvimento de games em parcerias da universidade com prefeituras e o governo estadual. Com núcleos em Novo Hamburgo, Campo Bom e Porto Alegre, o Feevale Techpark é considerado pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) um dos três melhores parques tecnológicos do Brasil. São 109 empresas no ecossistema do parque, que geram 700 empregos e, segundo a assessoria de imprensa da universidade, fecharão 2023 com faturamento somado de R$ 236 milhões.

O Hub Onehealth terá um novo prédio em Campo Bom, dentro da área do parque, no qual funcionarão novos laboratórios e um novo programa de apoio e aceleração de empresas para o desenvolvimento de produtos na área de biotecnologia, integrando as áreas de saúde humana e animal. A infraestrutura, garante a assessoria da universidade, será completa para pesquisa, desenvolvimento e controle de qualidade, de forma complementar aos laboratórios já existentes no Feevale Techpark, como os de Design Factory e Saúde Única, além do Hospital Veterinário, que fazem parte do complexo do parque.

O objetivo, aponta a Feevale, é trazer para o Vale do Sinos o protagonismo de um mercado dominado por empresas internacionais. Ainda na área da saúde, a Feevale anunciou que receberá R$ 944 mil do governo estadual para desenvolver uma plataforma de rastreamento e desenvolvimento de estratégias para prevenção e doenças sexualmente transmissíveis, em parceria com uma empresa gaúcha. O objetivo do projeto, desenvolvido pela Ziel Biosciences, que é uma das empresas do Feevale Techpark, é validar ainda um método alternativo de exame citológico e papanicolau para melhorar o rastreamento e o diagnóstico precoce de câncer de colo uterino e suas lesões precursoras.

Do agro aos games

Em outra frente, durante a Expointer deste ano, a Feevale e a prefeitura de Esteio lançaram um convênio para criar o Hub Agro. A obra para erguer um prédio ao lado da Casa de Esteio, no Parque de Exposições Assis Brasil, será feita pela prefeitura, com investimento de R$ 626,7 mil, ainda em fase de licitação. O prédio terá dois andares, incluindo salas de coworking e auditório. Conforme a Feevale, o novo hub em Esteio vai abranger todas as áreas de pesquisa e desenvolvimento tecnológico voltadas à agropecuária. Um edital será lançado e a perspectiva é de que até 30 empresas sejam incubadas no novo espaço.

A alta tecnologia também tem espaço nos investimentos anunciados em 2023 pelo Feevale Techpark. Serão R$ 365,6 mil a partir do edital estadual GameRS. Neste caso, o objetivo da universidade é não apenas desenvolver a área de jogos eletrônicos, mas integra-los a métodos didáticos a serem usados em sala de aula. É também com o objetivo de integrar as salas de aula ao que acontece no parque tecnológico que R$ 299,4 mil, provenientes da Finep, serão investidos no projeto Praça do Saber, que levará, em parceria com a prefeitura de Campo Bom, a experiência dos laboratórios a crianças e jovens do Vale do Sinos.

Ficha técnica
Investimento: R$ 16,7 milhões
Estágio: Anunciado
Empresa: Feevale
Cidades: Campo Bom e Esteio
Área: Varejo/Serviços

https://www.jornaldocomercio.com/